domingo, 15 de janeiro de 2017

Álbum Encantado! Editora Pan Juvenil 1966! O Primeiro Mangá do Brasil!

Um álbum com 104 páginas, em cores e preto branco, capa dura, medindo 26,5 X 18,5 é considerado o mais raro dos mangás publicados no Brasil.
Minami Keizi! Este é o nome do editor/supervisor/desenhista/escritor que em 1966, na Editora Pan Juvenil, lança a revista "Álbum Encantado", uma antologia de contos e fábulas infantis, escritas por ele e desenhadas por Fabiano Dias, José Carlos Crispim, o Luís Sátiro e Antonio Duarte. Todas histórias foram feitas estilo mangá (os desenhistas seguiram a orientação de Keizi, baseados nos quadrinhos japoneses).
O álbum teve tiragem de 50.000 mil exemplares e venda de aproximadamente 25.000 (segundo o próprio Keizi).
O Álbum era vendido por reembolso postal (as propagandas de vendas estavam inseridas nas capas das revistas da editora e de outras que os autores tinham ligações).
O preço do exemplar era quase 10 vezes superior as edições da Editora na época.
A raridade do exemplar para venda no mercado brasileiro pode estar ligada ao fato que o álbum por trazer passatempos infantis que permitiam recortes e preenchimento de quebra cabeças pelas crianças.
Aliado a isto o preço também contribuiu para tornar o exemplar tão raro.
A seguir fotos das primeiras páginas com as histórias e personagens publicadas na rara edição.
E antes que os pesquisadores de "plantão" digam que o primeiro mangá foi do Cláudio Seto, informo que este em entrevista confirma que o Minami Keizi realmente foi o primeiro a publicar em estilo mangá neste álbum (Minami e Seto foram grandes amigos)!
O preço de uma edição destas hoje, ultrapassa o Gibi de São João de 1942 e a Histórias do Faroeste nº 22 com Tex na capa! Incrível não?
Quem tem um?
A seguir fotos das primeiras páginas com as histórias e personagens publicadas na rara edição.



































sábado, 7 de janeiro de 2017

A Edição Maravilhosa e as capas variantes das 2ªs edições!

A edição Maravilhosa foi a única revista da Ebal que passou de 200 edições!
Foram 200 regulares e 1 uma edição especial (A independência dos Estados Unidos)!
Acontece que no decorrer da coleção alguns números esgotaram a primeira edição na editora!
Isto aconteceu com a edição 24 (O Guarani) e também com vários outros números da coleção!
Agora o que poucos colecionadores sabem é que algumas destas edições tiveram as sua capas refeitas! Até nisto a Ebal foi pioneira! As primeiras capas variantes do Brasil e quem sabe do planeta!

Somente com muita atenção os possuidores destes exemplares, conseguem notar as diferenças!
Vejam a edição n° 46 de Março de 1952 (O Tronco de Ipê) com capa de André Le Blanc!
A primeira edição o André aparentemente desenhou a capa com bico de pena. Já na 2ª edição (Março 1955) foi uma aquarela e pasmem! Ele inverteu a posição dos personagens e também a pose dos demais personagens!
Agora amigos colecionadores, revejam seus exemplares e verifiquem se você tem no seu acervo as capas variantes!



domingo, 25 de dezembro de 2016

Gazeta dos Quadrinhos! A Revista dos Quadrinhos Clássicos!

Luiz Antônio Sampaio é o nome do abnegado autor desta série que alguns chamam de fanzine, mas que para o Museu dos Gibis é um dos maiores resgates de histórias clássicas dos quadrinhos já publicados no Brasil!
Para quem não se lembra o Luiz Antônio Sampaio era quem escrevia as colunas da revista Calafrio intituladas"Quadrinhos pelo Mundo" e "Quem é quem nos Quadrinhos"!
Sua saga da publicação durou 8 anos e gerou um histórico de mais de 300 edições.
Foram 100 edições da Gazeta dos Quadrinhos Mensal, mais 200 edições das Gazeta dos Quadrinhos (está quinzenal), 1 Almanaque e mais alguns especiais!
As edições além dos quadrinhos em si, traziam um prefácio sempre ao nível do que o Luiz escrevia na revista Calafrio. Percebe-se nitidamente o cuidado da pesquisa e a riqueza das informações de cada edição.
As edições são muito raras de se encontrar, pois não foram impressas visando lucro e sim como uma forma de compartilhar informações. Tinha pequena tiragem para assinantes (colecionadores/pesquisadores e amantes da nona arte).
Deixo aqui os agradecimentos ao Luiz Antônio Sampaio pelo pouco que aprendi sobre quadrinhos!
E publico na integra as capas de todas as edições da espetacular coleção!